Dia Internacional da Prevenção e Segurança no Trabalho

Celebra-se amanhã, em todo o Mundo, o Dia Internacional da Prevenção e Segurança no Trabalho, o que constitui uma oportunidade para o debate, a análise e a reflexão sobre a sinistralidade laboral, esse flagelo que afecta e prejudica o mundo do Trabalho, a exigir um combate sem tréguas e o rigoroso cumprimento das mais elementares regras de Segurança.

Os custos humanos, sociais e económicos que decorrem da sinistralidade laboral, justificam o reforço das medidas preventivas adequadas, e da adopção de uma verdadeira cultura de Segurança, como atitude normal e assumida, a iniciar-se na concepção de qualquer simples projecto de trabalho.

 A Cultura de segurança é assim uma tarefa permanente de toda uma sociedade, no dever de assumir natural de um conjunto de princípios e atitudes, que tem na Prevenção um factor determinante.

Historial:

Desde 1996 que o 28 de Abril é comemorado em todo o mundo como forma de homenagear as vítimas de acidentes de trabalho e doenças profissionais.

A primeira cerimónia teve lugar em Nova Iorque, na Organização das Nações Unidas, onde foi aceso um memorial para recordar todos aqueles que perderam a vida no trabalho ou adquiriram doenças relacionadas com a sua actividade profissional.

Com esta primeira Jornada de Luto, estava consagrado o Dia Internacional de Luto pelas Vítimas de Acidentes de Trabalho e Doenças Profissionais.

A data foi escolhida para coincidir com as Jornadas Nacionais de Luto do 28 de Abril, previamente adoptadas pelo Congresso Canadiano do Trabalho.

Desde 2001 que esta efeméride é reconhecida e apoiada pela Organização Internacional do Trabalho (OIT), sendo actualmente celebrada de modo oficial em inúmeros países de todo o Mundo.

Em Portugal, o dia 28 de Abril foi instituído “Dia Nacional de Prevenção e Segurança no Trabalho” mediante Resolução da Assembleia da República n.º 44/2001, cabendo à Autoridade para as Condições do Trabalho o cumprimento do recomendado nesta Resolução.

A merecer a nossa leitura e reflexão o Relatório da OIT de 2010 –  Riscos emergentes e novas formas de prevenção num mundo de trabalho em mudança.

 Fonte: http://www.dnpst.eu/index.html

Um possível recurso  para o tema ” RISCOS E COMPORTAMENTOS SAUDÁVEIS” do núcleo gerador Saúde – UC3-2

 
 Posted by, Rosário Santos
Anúncios

25 de Abril … sempre!

 
Esta é a madrugada que eu esperava
O dia inicial inteiro e limpo
Onde emergimos da noite e do silêncio
E livres habitamos a substância do tempo.
                          
   Sophia de Mello Breyner Andresen

 

 

 
 Estes documentos podem ser um bom ponto de partida para uma reflexão sobre Cidadania, Liberdadade e valores democráticos na sociedade portuguesa …
Marília Teixeira

Dia Mundial da Terra

O Dia Mundial da Terra, comemorado hoje, está a ser assinalado um pouco por todo o mundo. O Dia da Terra foi criado em 1970 quando o Senador norte-americano Gaylord Nelson convocou o primeiro protesto nacional contra a poluição. É festejado em 22 de Abril e a partir de 1990, outros países passaram a celebrar a data.

A Terra, nosso lar, é viva como uma comunidade de vida incomparável. As forças da natureza fazem da existência uma aventura exigente e incerta, mas a Terra providenciou as condições essenciais para a evolução da vida. A capacidade de recuperação da comunidade de vida e o bem-estar da humanidade dependem da preservação de uma biosfera saudável com todos seus sistemas ecológicos, uma rica variedade de plantas e animais, solos férteis, águas puras e ar limpo. O meio ambiente global com seus recursos finitos é uma preocupação comum de todos os povos. A protecção da vitalidade, diversidade e beleza da Terra é um dever sagrado.”

Os dados mais recentes apontam para a temperatura em todo o mundo estar a aumentar graças ao dióxido de carbono que os homens enviam todos os dias para a atmosfera. O alerta chega da comunidade científica que é bem clara ao afirmar que este aumento de temperatura irá provocar até ao ano de 2050 a extinção de milhares de espécies animais.

Mas há mais avisos e todos eles preocupantes. As águas dos oceanos vão subir e provocar grandes inundações em diversos pontos do planeta e daí que muitas das cidades que se encontram em zonas costeiras sejam alvo de risco sério de destruição.

Outro dos alertas que surge neste Dia Mundial da Terra tem a ver com as doenças tropicais que devem aumentar em larga escala e dar origem a um surto de epidemias, mesmo em regiões onde este tipo de doenças já foi erradicado.

Convém também ressaltar, que muitos dos problemas com que nos confrontamos resultam da falta de espírito colectivo que, pressupostamente, deveria ser uma consequência directa do desenvolvimento.

A sociedade globalizada que reclamamos, estimula e instiga a um liberalismo desenfreado e um egoísmo sem limites.  O Dia Mundial da Terra luta por uma economia livre de carbono e por um consumo responsável. O consumo responsável consiste em ter em conta as repercussões sociais, económicas e ambientais no momento de fazer diferentes opções de consumo. A ideia base que deve presidir a um consumo responsável é ter em conta o seu impacto, consumindo com consciência da proveniência, qualidade e condições da produção.

Para um novo sentido de interdependência global e responsabilidade compartilhada, devemos todos pensar no bem-estar de toda a família humana, da grande comunidade da vida e das futuras gerações. A ideia é «consumir sem destruir», de forma ambientalmente sustentável a longo prazo.

Fonte: RTP

Um possível recurso para Ambiente e Sustentabilidade –  UC2!

Posted by Rosário santos

Novas Oportunidades – Aprender Compensa…

Há muitas competências que adquirimos na escola, mas isso não acontece com a maior parte das nossas competências. É a vida que nos ensina. Quanto mais rica for a nossa experiência de vida, mais reforçamos as nossas competências. Por isso é que aprendemos ao longo da vida.

Reconhecer, Validar e Certificar é um processo que permite a cada um(a) de nós, pela apresentação dos resultados significativos da nossa experiência, reconhecer competências que fomos adquirindo ao longo da vida, permitindo, posteriormente, que sejam Validadas e Certificadas.

Veja aqui o vídeo de campanha.

Rosário Santos

A Literacia dos portugueses «tem de aumentar rapidamente»

 

O relatório intitulado “A Dimensão Económica da Literacia em Portugal: uma análise”, apresentado, recentemente pelo seu coordenador, Scott Murray,  conclui que é necessário dar continuidade às reformas educativas em curso em Portugal, para que o país possa manter a competitividade nos mercados internacionais.

O estudo revela existir uma relação directa entre literacia e economia – quanto mais baixo é o nível de literacia maiores são as dificuldades económicas do país –, algo que implicitamente sabíamos, mas que nenhuma análise séria havia estabelecido claramente, e põe a nu resultados francamente negativos que colocam Portugal, a par da Grécia e da Polónia, entre as nações europeias com mais baixos níveis de literacia.

Portugal é mesmo considerado um caso atípico, na medida em que, em muitas situações, não valoriza convenientemente o nível de formação dos indivíduos, reconhecendo e compensando-os por uma formação ao longo da vida. Bem ao contrário, um número considerável de pessoas vai perdendo literacias adquiridas aquando da sua formação inicial por falta de aplicação das mesmas ou de actualização.

Iniciativas como o Plano Nacional de Leitura ou as Novas Oportunidadesestão no caminho certo, mas não são suficientes”, defendeu Scott Murray.

A merecer a nossa leitura, análise e reflexão.

Rosário Santos

Qualific@ 2010

 
“A Agência Nacional para a Qualificação (ANQ) vai participar, em articulação com a Direcção-Geral de Inovação e de Desenvolvimento Curricular e o Plano Tecnológico da Educação, na Qualific@, que se realiza, entre os dias 15 e 18 de Abril de 2010, na Exponor, em Matosinhos.

A Agência Nacional para a Qualificação (ANQ) vai participar, em articulação com a Direcção-Geral de Inovação e de Desenvolvimento Curricular (DGIDC) e o Plano Tecnológico da Educação, na Qualific@ – Feira de Educação, Formação, Juventude e Emprego, que se realiza, entre os dias 15 e 18 de Abril de 2010, na Exponor, em Matosinhos.
 

Assumindo como lema o tema “Educação e Formação: Rumo ao futuro”, a participação das três entidades irá integrar um espaço de informação aos cidadãos no âmbito dos percursos educativos e formativos destinados a jovens e a adultos, assim como várias áreas de exposição/mostra e de animação.

No âmbito das comemorações do Ano Europeu de Combate à Pobreza e Exclusão Social, a ANQ e a DGIDC promovem ainda, no dia 17 de Abril, a partir das 14h30, no Auditório Principal da Exponor, um seminário subordinado ao tema “Educação e Qualificação: Combater a pobreza, promover a inclusão”.
 
A Qualific@ é um evento dedicado às áreas da educação, formação, juventude e emprego, que, este ano, tem como tema central “O Universo Fantástico – Rumo ao Futuro”. A Qualific@ apresenta-se como um dos principais eventos, no contexto nacional, nos domínios da educação e formação, assumindo um papel de relevo no âmbito da informação e orientação escolar e profissional de jovens e na condução dos adultos pouco escolarizados a um percurso de qualificação.
 
Conheça o programa das mostras/actividades asseguradas por escolas e por outras entidades formadoras da responsabilidade da ANQ e da DGID, bem como a animação desenvolvida em palco.”
Notícia retirada do site ANQ
Rosário Santos

Aprendizagem ao longo da vida

Competências essenciais
Actualmente, nos processos de aprendizagem ao longo da vida, a aprendizagem informal tem de estar no centro dos processos, já que as dinâmicas das sociedades contemporâneas favorecem, exigem e desafiam as pessoas a desenvolverem, quotidianamente, novas aprendizagens.

No  âmbito da aplicação do programa de trabalho «Educação e Formação para 2010»,  foi elaborado um relatório intercalar, pelo  Conselho Europeu  e pela Comissão Europeia, referente às evoluções e progressos registados no período 2007- 2009, nos vários Estados-Membros. O relatório incidiu sobre um conjunto de competências, consideradas essenciais para aprendizagem ao longo da vida. Foram identificados novos desafios que se colocam a uma Europa em contexto de crise,  que exige novas competências e  qualificações.

Competências essenciais para um mundo em evolução

Assim, o quadro europeu de competências essenciais para a aprendizagem ao longo da vida, identifica e define oito competências essenciais necessárias à realização pessoal, à cidadania activa, à coesão social e à empregabilidade na sociedade do conhecimento:


1) comunicação na língua materna;

2) comunicação em línguas estrangeiras;

3) competência matemática e competências básicas em ciências e tecnologia;

4) competência digital;

5)aprender a aprender;

6) competências sociais e cívicas;

7) espírito de iniciativa e espírito empresarial;

8) sensibilidade e expressão culturais.


O ensino básico e a formação devem oferecer a todos os jovens, incluindo os desfavorecidos, os meios para desenvolverem as suas competências essenciais a um nível que os prepare para a vida adulta e que constitua uma base para a aprendizagem futura e para a vida profissional.
A educação de adultos e a formação devem propiciar a todos os adultos oportunidades reais de desenvolvimento e actualização das suas competências essenciais ao longo da vida.

Consulte o documento na íntegra em: Relatório do programa de trabalho «Educação e Formação para 2010»

Marília Teixeira