Iniciativa Novas Oportunidades – Avaliação externa

Muito se tem falado, nestes últimos tempos, na Iniciativa das Novas Oportunidades.

No âmbito do Estudo de Avaliação Externa do Eixo Adultos da Iniciativa Novas Oportunidades (2009-2010), realizado por uma equipa de investigação da Universidade Católica Portuguesa coordenada pelo Eng. Roberto Carneiro, encontra-se para consulta neste blogue, o  RELATÓRIO que integra os principais resultados, conclusões e recomendações referentes ao segundo ano de investigação e avaliação.

Este documento constitui  uma oportunidade de reflexão e de debate por parte dos principais operadores do Sistema Nacional de Qualificações. Parceiros sociais e inúmeras empresas consideram-na uma aposta indispensável e um investimento no capital humano, determinante na produtividade e desempenho de qualquer organização.

Convém recordar, que todos os Estados-Membros da União Europeia, definiram estratégias no sentido de pôr em prática políticas coerentes de aprendizagem ao longo da vida, assentes em módulos constitutivos determinados em função de 4 eixos: a cidadania activa, a realização pessoal, a empregabilidade e a inclusão social.

 A Iniciativa  Novas  Oportunidades procura, efectivamente, responder às solicitações da União Europeia no âmbito dos 4 eixos. É aceitável pensar, que mais e melhor se pode fazer.

Decisivo, será assegurar no futuro uma formação de qualidade que possa responder às novas exigências do mundo do trabalho e tornar o país mais competitivo.

 

Posted by Rosário Santos
 
Anúncios

Projecto BESP – Benchmarking das Escolas Secundárias … Inovador

O projecto BESP Benchmarking das Escolas Secundárias Portuguesas apresenta uma plataforma web inovadora em Portugal. Esta plataforma serve de apoio às escolas em duas grandes vertentes da sua avaliação: Avaliação Interna e Avaliação Externa.

A partir da consulta deste site,  é possível analisar um conjunto de indicadores que  mostram o desempenho das escolas a vários níveis (contexto, resultados, recursos e processo) e são produzidos para dois tipos de cursos: científico-humanísticos e profissionais. Para produzir os indicadores são utilizados dados provenientes do Ministério da Educação (resultados de exames nacionais) e das próprias escolas.

Recomendo esta plataforma que devia ser objecto de análise cuidada por todos os professores/formados e outros agentes intervinientes no processo educativo. Quais são as escolas que apresentam melhores resultados? Quais são as práticas utilizadas? Será que as outras podem aprender com as escolas que apresentam melhor desempenho? Falamos de benchmarking…

Para proceder à inscrição como utilizador e consultar toda a informação disponível, clique na imagem

projecto BES - benchmarking

Marília Teixeira