“O aumento das competências educativas das famílias: um efeito dos Centros Novas Oportunidades” – Livro a consultar

Numa iniciativa da ANQ (Agência Nacional para a Qualificação), foi editada e disponibilizada por esta entidade, em versão e-book, o livro “O aumento das competências educativas das famílias: um efeito dos Centros Novas Oportunidades“.

Esta obra, coordenada pela docente da Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Coimbra, Dr.ª Lucília Salgado, resulta de um “estudo que se inicia com uma hipótese: até que ponto a formação efetuada nos Centros Novas Oportunidades, através de processos de reconhecimento, validação e certificação de competências (RVCC), desenvolve um projeto de vida nos filhos dos formandos destes mesmos processos que passe pela escolarização e que facilite o desenvolvimento da literacia familiar?”

“Este  estudo vem demonstrar que a realização de processos de RVCC por parte dos pais tem conduzido ao desenvolvimento de um maior interesse pelo estudo dos seus filhos, a um maior envolvimento nas suas aprendizagens, bem como a uma relação mais adequada com a escola e com os professores dos mesmos. Além disso, estes pais tornaram-se leitores mais assíduos, desenvolveram a prática de leitura com os filhos em tarefas escolares, do quotidiano ou em atividades lúdicas e de lazer, influenciando o aumento dos níveis de literacia familiar e promovendo condições facilitadoras do sucesso escolar das crianças.”

Consulte aqui esta obra.

Posted by Rosário Santos

Dia da Restauração da Independência

Restauração é o nome que se dá tradicionalmente ao movimento histórico que restituiu a Portugal a autonomia a partir de 1 de Dezembro de 1640.

 Tudo começou em finais do séc. XVI A morte de D. Sebastião (1557-1578) deu origem a uma crise dinástica. Quem subiu ao trono foi o Cardeal D. Henrique, que era tio-avô de D. Sebastião. Mas só reinou durante dois anos porque nem todos estavam de acordo com ele como novo rei.

Nas Cortes de Tomar de 1580, Filipe II de Espanha é aclamado rei de Portugal (Filipe I de Portugal).

A razão para a escolha foi simples: Filipe II era filho da infanta D. Isabel e também neto do rei português D. Manuel, por isso tinha direito ao trono.

Durante 60 anos, viveu-se em Portugal um período que ficou conhecido na História como “Domínio Filipino”. Depois do reinado de Filipe II (I de Portugal), veio a governação de Filipe III (II de Portugal) e Filipe III (de Portugal). Estes reis governavam Portugal e Espanha ao mesmo tempo, como um só país.

Os portugueses acabaram por revoltar-se contra esta situação e, no dia 1 de Dezembro de 1640, puseram fim ao reinado do rei espanhol num golpe palaciano (um golpe só para derrubar o rei e o seu governo).

 Filipe III abandonou o trono de Portugal e os portugueses escolheram D. João IV, duque de Bragança, como novo rei. A partir daqui iniciou-se a 4.ª Dinastia.

LIVRO VIRTUAL – HISTÓRIA DE PORTUGAL

Para os mais novos e não só, conheça melhor a história do rei D. João IV que permitiu que o nosso país se libertasse da dinastia dos Filipes. Clique na imagem para aceder ao livro virtual e carregue no 8º livro. Não deixe de ver todos os outros livros,  podendo desta forma conhecer e aprender de uma forma lúdica um pouco mais sobre a nossa História e Reis de Portugal.

( clique na imagem para aceder aos livros )

Fonte: Instituto Camões

Posted by Rosário Santos